Quando a vida te pega de surpresa…

27 07 2009

Creio que um dos grandes medos de quem imigra é perder um ente querido a quilômetros de distância da família. Por mais que saibamos que a morte é a única certeza que temos na vida, não há nada que nos prepare para lidar com ela… O chão simplesmente se abriu quando recebi a notícia e não havia mais nada que podíamos fazer a não ser pegar o primeiro avião que partia para o Brasil. Estar junto da família foi a única coisa que importou naquele momento.

Foram horas intermináveis de viagem, horas que em nos perguntávamos se estávamos tendo um sonho horrível… Infelizmente, tudo era verdade e nós chegamos ao Brasil a tempo de enterrar meu pai querido.

Meu pai era um exemplo de vida. Alguém de veio completamente de baixo e conseguiu ser alguém. Foi um pai extremamente carinhoso e presente. Nunca em nenhum momento deixou de dizer que me amava e que tinha orgulho de mim. Estava muito feliz com a decisão que havíamos tomado e nos apoiou demais. Me ensinou sobre tudo, me deu conselhos valiosos que com certeza transmitirei aos meus filhos, se eu os tiver. Ele sabia aproveitar os bons momentos da vida e foi com ele que aprendi a tirar foto desses momentos. Ele foi feliz, estava completamente satisfeito e realizado nos seus 52 anos de vida… Era jovem na idade e no espírito, adorava a tecnologia.

Foi uma pessoa muito querida por todos, principalmente por causa de sua presença alegre e descontraída. Tinha urgência de viver, como se soubesse desde sempre que nos deixaria cedo…

No dia 04/07, ele embarcou conosco até Guarulhos… Queria nos apoiar na viagem e se despedir no embarque internacional. Achei aquilo fantástico, não esperava algo do tipo… Na despedida, nos olhamos de forma muito particular e eu me perguntei se aquela seria a última vez que nos veríamos… Mas eu não imaginava que o perderia tão cedo… Triste ironia do destino…

Sentirei saudades imensas do seu abraço, da sua voz, do seu otimismo, das suas brincadeiras, da sua seriedade. Sentirei saudades imensas de tudo… Espero que ele esteja bem onde estiver. Jamais o esquecerei…

Amo você, pai querido…

086

087

008

009

Quero agradecer em especial aos amigos Thaís e Pedro, Flavielle e Adolfo e Erisa e Álvaro que nos ajudaram nos momentos mais angustiantes. Foram eles que nos ajudaram a fazer as malas, a comprar as passagens, nos levaram ao aeroporto e nos confortaram nas primeiras horas. Deixamos tudo para trás nas mãos deles e tenho certeza de que cuidarão bem de tudo por nós. Seremos eternamente gratos pelo carinho…

Quero agradecer também a todos os amigos que nos mandaram mensagens, e-mails, nos ligaram e estiveram conosco nesses dias. Não há palavras para agradecer o abraço amigo nesses momentos…

A missa de 7º dia de Valdo Soares Leite será celebrada em Brasília na igreja São Camilo de Léllis em Brasília, na 303/304 Sul às 19h do dia 28/07.

E a vida continua para nós que ficamos por aqui…

Anúncios