Da série: Dicas de produtos

28 07 2011

Chegando em terras canadenses e quer fazer um strogonoff ou mousse, mas não sabe onde o creme de leite se escondeu? Eis aqui a sua solução:

Cooking cream 35% ou Crème à cuisson 35%

ou

Porém, esqueça a textura do creme de leite que conhecemos no Brasil, esses cremes são mais líquidos. Quanto menos porcentagem de gordura tiver, mais espesso ele será.

(Pra não dizer que eu não tenho mais o que escrever por aqui, resolvi postar umas “bobagens” úteis rsrs)





Dois anos depois

25 07 2011

Então, é isso mesmo, completamos 2 anos de imigração e estamos vivos para contar história. Quando olhamos pra trás, parece que foi ontem que saímos do Brasil, mas ao mesmo tempo existe uma sensação de que estamos aqui há muito mais.

A essa altura do campeonato, o francês sai bem mais fácil, mas ainda continua sendo um problema em nossas vidas. Jamais imaginaria que seria tão difícil. Claro que tudo depende do esforço de cada um, mas lhes digo que é bem complicado continuar estudando o idioma depois de um tempo. O “se-virômetro-nos-trinta” toma conta e você se faz compreender em todas as situações, entende todos os contextos, mas saber realmente e falar igual aos quebecas é bem complicado mesmo. Vamos seguindo.

O mais difícil mesmo é a saudade. Com anos fora, você já “não faz mais parte” da rotina das pessoas que estão no Brasil e confesso que isso é meio estranho. As crianças crescem, a vida muda… Enfim, difícil de lidar, mas a tecnologia facilita demais, tem que usar e abusar dela.

Somente nesse momento eu posso dizer que me sinto adaptada, embora ainda estranhe certos aspectos da cultura alheia. A rotina está consolidada, as estações bem definidas, as semanas não têm mais tantas novidades. É legal, sabe, ter mais controle sobre o que vem em seguida.

Como a vida aqui em Ville de Québec é muito tranquila e as pessoas são muito parecidas umas com as outras (nas característcas físicas), quando viajamos à outros lugares, achamos meio estranhas as diferenças, o que eu não tenho certeza de que seja bom. Acredito que falta Ville um pouco de diversividade, sei lá. É muito fácil reconhecer imigrante de longe nas ruas por causa disso. Bom, mas vejo muita gente nova chegando, pode ser que isso mude daqui uns anos…

Nesse meio tempo, vimos alguns casamentos e sonhos se desfazerem, infelizmente. Algumas pessoas voltaram pro Brasil, outras continuam tentando sozinhos. Não é brincadeira não. Um casal tem que ser muito unido e partilhar a vontade de morar mora, porque senão as dificuldades que se passam por aqui superam o amor e o romance voa pela janela… Faz parte.

Continuamos caminhando com poucas notícias no blog, mas firmes e fortes.
E que venha o próximo ano com seus desafios.

Quero agradecer pela audiência que ainda temos por aqui 😉