As primeiras férias no Brasil

7 09 2010

Finalmente tivemos nossas primeiras férias e viajamos para o Brasil reencontrar a família e os amigos. Como eu só tive 2 semanas de férias, a viagem teve de ser super rápida. (Parando para fazer um parênteses, as férias no Québec não funcionam como no Brasil. Não tem isso de 30 dias remunerados, nem salário antecipado e muito menos receber um terço de férias para aproveitar. Por isso, tudo tem que ser bem planejado.)

Ao chegar no Brasil, a cabeça ficou confusa. Para falar algo, eu pensava mil vezes antes de dizer a frase, tentando achar a língua correta para se falar em determinados momentos. Passados 2 dias, o cérebro entendeu que estava em casa e, sem dúvida nenhuma, a conclusão que cheguei é que a fluência na língua é o que me faz mais falta. Bom demais poder falar sem pensar demais, escutar e entender tudo 100%, independente do sotaque.

A princípio, achei Brasília extremamente suja e marrom. Claro, fomos justamente no mês da seca, mas aquela sujeira toda sempre esteve ali e eu nunca tinha percebido. Com o tempo, me acostumei com o fato como se nunca tivesse saído de lá.

Também notei que as pessoas foram menos gentis conosco nas lojas e supermercados que visitamos, sem falar no trânsito caótico que antes eu achava que era o mais tranquilo do país. Enfim, nossa perspectiva muda após um ano. O que realmente não muda é o amor que você tem pelas pessoas, o prazer em revê-las e estar com elas. Também não mudou o fato de que no Brasil se come muito bem rsrs

Em compensação, você nota que o custo de vida está alto demais, que a pobreza te incomoda mais ainda e que já não dá muito para ignorar as discrepâncias sociais que antes você estava acostumado a ver todos os dias.

É muito fácil se achar tentado pela vida que deixamos de ter quando deixamos o país, pela saudade das pessoas maravilhosas que sempre estiveram ali e que agora você não pode mais ver todos os dias. Tudo é festa, tudo é alegria e as dificuldades que se enfrenta numa imigração parece ser uma bobagem de ser vivida quando você pode fazer aquilo que sempre fez na vida sem nem perceber, mas a verdade é que os problemas e a insatisfação com certas situações continuam existindo. Aquilo que te fez sair do país continua existindo e isso é uma realidade triste, porém te dá forças para continuar levando a vida para alcançar seus objetivos.

Enfim, resumindo tudo, a viagem foi ótima, apesar de corrida, mas estou feliz em estar de volta à minha rotina. Enquanto isso, a saudade continua doendo ali no fundinho do coração, mas a gente vai levando…

Agora é correr e trabalhar para se pagar o rombo que as férias deixaram no bolso rsrsrs.

Anúncios

Ações

Information

3 responses

7 09 2010
Bruna

Oiii
Exatamante, depois de um tempo fora..tudo muda.
Mas é tão bom reencontrar os entes queridos!
Imagino como deve ter sido bom.
Um abraço

12 09 2010
César

Que bom que pelo menos deu tempo de rever as pessoas especiais que você deixou.

E a vida segue…

25 10 2010
Luciana

Ola! Olha, morei no exterior e voltei, para morar, em Brasilia, ha 4 meses e estao com tanta, mas tanta dificuldade para me adaptar… Quero muito ir embora novamente….. we’ll see…. 🙂 Amei sua sinceridade e me identifiquei muito com ela…. Obrigada! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: