Gastos no veterinário

22 07 2010

Ter bichinho por essas bandas requer dinheiro, minha gente. Se seu animal for bem saudável, ótimo, mas se ele fica doente com frequência, é bom arrumar uma poupancinha para despesas com a saúde dele. Tenho uma gatinha que tem histórico de problemas urinários. Isso significa idas constantes ao veterinário para fazer exames e afins.
Para as vacinas, até achei barato no caso dos gatos, mas já ouvi gente contando que pra cachorro custa mais caro.

Pensando nisso, fiz um “seguro-saúde” para ela com a Purina. O preço varia de plano para plano e eu escolhi um intermediário (PurinaCare® Preferred) por causa da franquia. Sim, franquia. Para começar a receber os 80% de reembolso das despesas pagas, eu tenho que gastar uma X quantia com vets, e dependendo do plano e dos gastos cobertos, as franquias são diferentes. O plano top ( PurinaCare® Premium) cobre todas as despesas, inclusive com exames de sangue, urina, vacinas e limpeza dentária. A franquia desse custa CAD $350 e eu confesso que achei muito alto o valor quando vi, mas eis que agora descobri que o valor vale realmente a pena, se você precisar de diversos exames para o animal.

Ao levar a gata para investigar uma perda de visão, tive de fazer exame de sangue, urina e aferir a pressão. Só neste dia, eu gastei CAD 319$. No resultado, encontraram bactérias na urina e então foi necessário fazer uma cultura para verificar qual bactéria estava causando a infecção. Lá se foram mais CAD 68$ A veterinária prescreveu um antibiótico que custava CAD 38$ (e vale lembrar que remédios só são vendidos na clínica e na quantidade certinha que o animal deve tomar).

Quando saiu o resultado da cultura, a vet disse que teríamos que trocar a medicação e que eu poderia levar a medicação que restava para ganhar desconto na compra do outro remédio. No fim, tive que completar ainda CAD 14$. A vet também me recomendou refazer a cultura e o exame de sangue 3 dias após o fim da medicação e isso então me custou mais CAD 98$.

Se você somar todos os valores, vai ver que eu atingi facilmente a franquia de CAD 350$, porém não vou receber ainda o meu reembolso, já que o plano que eu fiz não cobre exames. Mal negócio, portanto. De consultas, gastei até agora CAD 120$. Assim que puder, eu farei um upgrade no plano, pois agora sei quanto custam os serviços veterinários por essas bandas.

Portanto, se você tem um animal e pretende trazê-lo para o Canadá, planeje também a poupança-veterinário-feliz, porque se você ama o suficiente para trazê-lo, vai querer cuidar dele direitinho, não é mesmo?





Nova ferramenta

16 07 2010

Entrando na onda dos formulários na internet, criei um para que qualquer pessoa possa fazer uma pergunta e eu tentarei responder assim que possível.
Só não vai ser possível responder sobre o mercado de trabalho em cada área, pois isso depende de bastante pesquisa nos sites de emprego, ok?

Formspring

PS: Isso só me lembra aqueles cadernos de adolescente que rolavam nas escolas antigamente rsrs
Isso é sua época? rsrsrs





Enfim, um ano…

8 07 2010

Há exato 1 ano, nós chegávamos ao Québec empolgados e apavorados ao mesmo tempo. Tudo é novidade, tudo é festa quando se chega. Há muito o que se ver, há muito o que se conhecer; você começa a testar seu nível de fluência da língua. Alguns tem mais facilidade, outros menos, mas todo mundo enfrenta dificuldade no início. Pedir o primeiro combo no McDonalds é no mínimo engraçado e você vai evoluindo a cada pedido.

Olhando para trás, parece que estamos aqui há um século. Tudo é muito intenso, os sentimentos são os mais variados possíveis e a conclusão é quase sempre a mesma : é mais difícil do que esperávamos. A saudade da família e dos amigos, a dificuldade com a língua, as barreiras para arrumar emprego e para lidar com as finanças, as diferenças culturais e climáticas, o preconceito (a essa altura do campeonato você sabe que existe), tudo isso te afeta de uma forma única e é impossível saber como nos sentiremos sem passar por isso de verdade. Por isso que a grande questão “Vale a pena ou não imigrar?” possui respostas diferentes, já que cada um sabe onde seu calo dói, qual é o seu limite e qual é o seu objetivo de vida.

Nosso saldo após um ano é positivo. Aprendemos demais, abrimos nossa cabeça, priorizamos nossa vida. Choramos juntos às vezes por uma situação ou outra, mas continuamos sorrindo das descobertas que fazemos a cada semana. Temos uma situação até estável, temos conforto em casa, inclusive mais conforto do que tínhamos em Brasília, pois as coisas aqui são mais acessíveis.

Mas continuamos fazendo planos e lutando por nosso espaço… Nossa rotina é mais concreta e a vida está bem mais tranquila após um ano. Posso te dizer com toda a certeza de que os primeiros seis meses são os mais difíceis e completar um ano tem um gostinho de vitória por ter sobrevivido até aqui. Como eu já disse, não é fácil e eu não estou exagerando. A língua continua sendo a maior barreira, pois o francês é extramente complexo, mas tudo depende de esforço pessoal.

Um conselho? Mente aberta, tolêrancia, paciência, humildade e conjugação verbal afiada fazem a diferença.

Enfim, os desafios são grandes, as batalhas são árduas, mas continuamos na luta pela adaptação.
E que venha o próximo ano!