3 meses de Québec

10 11 2009

Finalmente fizemos 3 meses que estamos no Québec e a sensação que dá é que muito mais tempo se passou desde que começamos essa saga. Muita gente nos pergunta se já estamos adaptados ao novo país e nós simplesmente respondemos que é simplesmente impossível estar adaptado em apenas 3 meses. Ainda há muita novidade, muita coisa para aprendermos, principalmente quando o assunto é clima.

Agora quando dá 16:30 já está escuro. Mas é escuro mesmo, de noite. E claro, a tendência é só piorar. A sensação de ver a noite tão cedo é muito estranha, pois o corpo assimila que está perto de dormir. Ainda mais porque no verão o sol se punha às 21:30… Pelo menos numa coisa já nos adaptamos: a ligar a TV no canal da meteorologia assim que acordamos para ver como o tempo está lá fora. Aqui o canal do tempo não erra nunca e você precisa realmente estar preparado para enfrentar o clima lá fora.

Com relação à saudade, sentimos muita falta da família e dos amigos. Não tem como fugir disso, só dá pra amenizar o fato com as tecnologias disponíveis e também tem que se distrair.

Algumas comidas fazem falta, você sente saudade até de comer em self-service, coisa que vi muito pouco por aqui, além de ter pouca opção no cardápio. De qualquer forma, com 3 meses você se vira um pouco mais fácil no mercado, apesar de não conhecer tudo o que presta ou não.

Ainda não fizemos muito turismo por aí, nem mesmo conhecemos a cidade inteira, mas como não somos turistas, podemos fazer isso a qualquer momento. Não tem pressa.

Por enquanto, não tenho a opinião de que os gringos são frios. Pelo contrário, a impressão que tenho é que são muito mais amigáveis do que eu imaginava. Talvez eu estivesse esperando o pior. Ou talvez eu tenha dado sorte, porque no fundo as experiências são muito pessoais.

Quando paro para pensar se vale a pena imigrar para um país como o Canadá, não tenho resposta ainda. Apenas chego à conclusão de que é muito mais difícil do que a gente imagina ou ouve falar. A única coisa que eu sei é de que eu não me arrependo de nada, porém não faria de novo. Acredito que cada um faz a sua história, cada um tem sua própria opinião e o fato de você ver para crer com seus próprios olhos é algo a se pensar.

No mais, o saldo até o momento é muito positivo, muitas portas têm se aberto para nós e estamos aprendendo a conhecer nossos limites, inclusive no quesito frio que anda já mostrando sua cara por aqui rs rs. Mas acabou que a neve nem apareceu de novo, só caiu de leve sem “causar estrago”.

E vamos que vamos rumo aos 4.

Anúncios

Ações

Information

7 responses

10 11 2009
petula

uau, revelações! fico feliz com a parte do calor humano. bom descobrir ao vivo que as pessoas podem ser bem amistosas. isso dá perspectiva.

saudades… que dizer? não tem jeito, né? com escolhas como essa muitas coisas ficam pra trás… porque não dá pra acreditar que por conta de email, telefones a gente ainda faz parte DA MESMA MANEIRA da vida de alguém. é triste, mas ocorre um certo distanciamento. fica o carinho, mas algo se perde. e é preciso criar novos laços.

quanto a viver de noite às 4 e meia… cara, isso é muito doido! realmente só vivendo, né? não acho que será rápido, mas aposto que no próximo outono-inverno vocês já estarão craques.

apostem na mudança! foi pensada e por fim concretizada! acreditem em si e reconstruam a vida. olhem pra trás com afeto, mas sem ancoragens. a vida só anda pra frente!

sucesso na jornada!

10 11 2009
Beatriz Vidal

realismo maior impossível! 🙂

o que posso dizer? só desejar o melhor e que tenham muito sucesso, que consigam conquistar aquilo que sempre desejaram desde a decisão de imigrar.
as dificuldades são inúmeras, isso não há o que discutir, mas há de se ter força de vontade e persistência.
gostei de saber q não são um povo frio, na vdd, nunca imaginei que fossem mesmo. já convivi com muitos gringos diferentes e sei q o jeitão deles é diferente do nosso, mas não é horrível como muita gente pinta!

abraços, tudo de bom!

10 11 2009
Jayson

Parabéns Roberta e Lucas….

É isso mesmo não…a vida é cheia de conquistas, mudanças e muitas vezes obstáculos que não estamos preparados….mas o mais importante é não desistir e pensar que isso serve para nos fortalecer e nos transformar em pessoas melhores e com mais virtudes….

Estamos torcendo por vocês…

Jayson e Leandra….

17 11 2009
Priscila

Olá Roberta,

vi o post sobre ‘quanto dinheiro levar’. Fico preocupada com a quantia pois cada caso é um caso, eu sei. Já vi que alguns casais recomendam, no mínimo, $20.000, outros recomendam $ 10.000. Gostaria de saber um pouco da experiencia de voces à este respeito. Meu perfil: casada, sem filhos, absolutamente economicos, não pretendemos comprar carro e vamos morar em Ville de Quebec. Qual o conselho de voces?
Outra pergunta: como voces levaram o dinheiro? Visa travel money?especie?travalers?Abriram conta no HSBC? Gostaria da justificafiva do porque da escolha de voces.
Outra duvida: Fizeram a declaracao de saida definitiva do país? Gostaria da justificativa também.
Muitíssimo obrigada.
Resposta para: almeida_priscila@yahoo.com.br
Priscila

17 11 2009
Marcia Zakaria

Oi Roberta tudo bem com vocês?

Bem o que posso dizer? que vocês não se arrependam…. pensem no lado positivo das coisas: na não violência, no emprego já conseguido, nos quebecois calorosos, enfim tudo de bom para vocês.
Outra coisa as perguntas da Priscila aqui acima me interessam também, se você puder postar aqui ou fazer uma cópia da resposta dela, agradeceria muito.
Um grande abraço,
Márcia

19 11 2009
Thiago Ticchetti

E o Lucas? Como ele está? Manda notícias do meu parceiro!
abraços para voces

30 01 2010
Daniel

Oi Roberta, estou lendo todo o blog de vcs e gostei muito. Varias dicas e comentários que achei muito úteis. Acho que até o final de 2010 estaremos chegando em Quebec Ville ou Montreal.
Bom saber que o pessoal da terra do gelo não é frio. Estou muito curioso de viver na neve, eu moro no Rio Grande do Sul, mas nunca nevou na minha cidade, só friozão com chuva mesmo.
Mas nesses 3 meses aí vcs já conseguiram fazer alguma amizade? Conheceram algum imigrante? E os barzinhos na rua para beber um cervejinha, eles existem aí?
Continuem lutando. Boa sorte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: