Primeira neve

27 10 2009

E eis que semana passada caiu a primeira neve fora de hora para alegria dos recém-chegados. Foram 15 cm de neve que caiu durante a noite e um dia quase todo. A cidade é outra coberta de branco. Enquanto a neve caía junto com a chuva, estava bem frio, mas quando a chuva parou, a sensação térmica não era tão baixa.

Fizemos nosso primeiro boneco de neve, que foi classificado de macabro pela família rs rs, mas ficamos contentes mesmo assim por poder brincar pela primeira vez com algo que só conhecíamos pelos filmes. Muito divertido!

Com a neve, chega também a preocupação em se vestir direito e andar de forma menos perigosa nas ruas, pois é necessário aprender a caminhar para não escorregar quando há gelo.

A neve caiu na quinta-feira e no domingo já não havia praticamente mais nada nas ruas. O branco sumiu e a vida voltou a ser como era antes. Se fosse assim sempre, seria legal, hein? Rs rs rs

Parece que amanhã tem mais.

Vejam aí umas fotos da primeira experiência com a neve.

IMG_2059

IMG_2018

IMG_2050

IMG_2038

Anúncios




Novidades

21 10 2009

Pedimos desculpas pelo sumiço, mas a verdade é que quando a vida vai entrando na rotina, falta um pouco de inspiração e tempo para escrever. De qualquer forma, ainda temos novidades para contar.

Arrumei meu primeiro emprego!
Comecei a trabalhar há quase 1 mês em uma empresa pequena de informática. Estou lá como programadora/analista .NET e estou gostando bastante.

Foi assim. Eu cheguei a mandar 2 currículos e me cadastrei em diversos sites de emprego, inclusive no Emploi-Québec. A primeira entrevista que fiz, assim que voltei do Brasil, foi completamente desastrosa. Não consegui dizer o que eu queria, me enrolei com termos técnicos que deveria conhecer a esta altura do campeonato… Resumindo: foi uma droga. É extremamente frustrante ter 9 anos de experiência numa área, a vaga ser perfeita para você e você simplesmente não conseguir nem conversar com o possível empregador. Nessas horas, você se pergunta mil vezes o que diabos está fazendo aqui e se fez a coisa certa… Enfim, não desisti.

Num belo dia, uma empresa viu meu perfil no Emploi-Québec e escreveu me pedindo meu currículo. Eu simplesmente não estava esperando, porque não tinha muita experiência com .NET, mas resolvi arriscar e diferentemente da primeira entrevista, me sai muito bem e consegui passar segurança ao conversar com a empregadora. Ela mostrou interesse, já me apresentou para a equipe toda, embora ainda tivesse mais entrevistas pra fazer. Saí confiante.

Na semana seguinte, a empresa entrou em contato comigo dizendo que teria interesse em me contratar, mas eu teria que conseguir a carta PRIIME do governo do Québec. Fui lá no dia seguinte, expliquei a situação e consegui a tal carta. Comecei a trabalhar em seguida.

As pessoas na empresa são bem simpáticas e procuram falar de forma entendível quando vão me passar alguma tarefa, mas não é fácil. Os primeiros dias foram extremamente estressantes, chegava em casa completamente acabada por me esforçar a entender as pessoas, me fazer entender e entender o trabalho que deveria ser feito e já cheguei pondo a mão na massa… Atualmente, continuo chegando muito cansada em casa, mas noto que as coisas vão melhorando com o tempo.

Há certos momentos em que me sinto uma completa idiota por não entender o que me falam. Na hora do almoço, quando todos estão empolgados falando sobre coisas triviais e falando no ritmo normal quebecois, fico lá boiando muitas vezes sem fazer a mínima idéia do que estão falando. Me perguntam algo, eu respondo e lá fico eu calada de novo fingindo entender o que estão falando. Também tem os momentos em que você faz perguntas idiotas, confundindo o francês com o português e o inglês, ninguém entende nada da pergunta e lá vai você desenhar o que quer… Ah, também tem aqueles momentos em que eu queria fazer um comentário legal ou uma piada, mas não sei como fazê-lo e mais uma vez me sinto uma idiota. A moral da história é que você pode até entender bem o francês, mas chegar na fluência ideal é algo extremamente difícil e demorado. Você paga muitos micos pelo caminho, se constrange, se frustra e por aí vai…

No fim das contas, estou muito feliz por estar trabalhando na minha área, por estar conseguindo fazer o meu trabalho apesar das dificuldades e também feliz por ver que a língua melhora a cada dia. Mas não vou mentir, nessa vida de imigrante há muito mais momentos difíceis no dia-a-dia do que momentos bons no início. Tem que ter uma paciência enorme consigo mesmo e com tudo. Recomeçar uma vida, inclusive aprendendo a falar corretamente, não é fácil e também não é para qualquer um. Tem que saber o que quer e continuar perseverando, porque afinal de contas, nós somos brasileiros e não desistimos nunca rs rs rs.

O melhor de tudo é ver o dinheiro entrando de novo na conta, confesso kkkk





O que se come no Québec além de carne de cavalo

8 10 2009

O post sobre a tal carne de cavalo fez sucesso e todo mundo me pergunta curioso o que comemos por aqui. Então, eu respondo: comida normal rs rs.

Os quebecoises tem hábitos saudáveis no que diz respeito à comida. Comem bastante verduras, legumes e frutas. Geralmente comem em porções menores do que estamos acostumados no Brasil. É bem normal ver gente comendo no lanche umas cenouras pequenas que existe por aqui que são mais doces que as cenouras que temos no Brasil. Acredite, esse hábito se aprende rápido e quando você percebe, está lanchando cenoura, couve-flor e brócolis crus. Existem uns molhinhos chamados tremprettes que são muito gostosos e as saladas ficam mais saborosas com essas coisas. O molho caeser também tem lugar na geladeira. Além disso, eles comem tem carne (de boi, frango ou de porco), algum tipo de massa (macarrão, arroz ou batata), queijos, frutos do mar, bastante sopa e coisinhas que só existem por aqui.
Atenção, pais imigrantes: é proibido colocar na lancheira das crianças biscoitinhos, salgadinhos, chocolatinhos e coisinhas doces e gostosas. As crianças comem verdura desde cedo no lanche.

A comida típica daqui se chama Poutine que não é nada mais do que batata frita, com um molho especial e queijo junto. Há variedades que incluem salsicha e carne moída (de boi) no meio. Quando você prova a primeira vez, pode parecer sem graça, mas com o tempo você acaba gostando. A melhor até agora é vendida no Ashton, na minha opinião.

Estranhei verdadeiramente o milho que é bastante doce. Aliás, não é bastante doce, é completamente doce. Não gostei. As uvas são fantásticas e a maioria não tem caroço. Banana não é tão saborosa quando na nossa terrinha.

Eles também adoram um café ou chafé. Saem com suas canequinhas pela rua ou compram seus copinhos nos cafés. Vemos muito isso nos filmes gringos.

E nós brasileiros, o que comemos por aqui? Ora, o de sempre: arroz, feijão, bife e batata frita rs. Mcdonalds e Subway de vez em quando. Arroz é simples de achar, o feijão tem algumas variedades, mas só comprei do preto até agora, há zilhões de opções para molhos prontos e muitos produtos congelados que são fantásticos, além de não serem caros. Realmente, tem muita coisa que facilita fazer comida. Não senti falta de nenhum tempero por aqui.
No mercado, pode-se encontrar pão francês (da França mesmo) , croissants e bolos congelados para se assar em casa. Bem mão na roda. E os queijos também não custam os dois olhos da cara.

Achamos um dia desses (seguindo indicação) farofa num mercado mexicano. Lá também tem flocos de milho, goiabada, suco de garrafa (caju, maracujá) e mais umas coisinhas que não me interessaram muito. Ainda não encontrei polvilho (creio que não vende em Ville de Québec), nem guaraná Antártica e nem tapioca hehehe.
Ah sim, também não existe Fandangos nessa terra rs rs (sou viciada mesmo). O povo adora Doritos, Cheetos e Ruffles.

Não encontrei também ainda (não procurei muito) uma confeitaria bacana para comer umas tortas de vez em quando, coisa que adoro.

No mais, seguimos comendo como comíamos no Brasil, acrescentando uns hábitos a mais que não sei como vivíamos sem.

E aí, matou sua curiosidade sobre o que comemos aqui?