Calor, casa nova, montagem dos móveis e afins

20 08 2009

Começo este post mais uma vez agradecendo aos amigos que fizeram a nossa mudança enquanto estivemos no Brasil. Gestos como esse não tem preço 🙂

***

Faz muito calor aqui no Québec e como as casas são preparadas para reter calor, temos a sensação de estarmos cozinhando em temperatura máxima. Difícil dormir. Só passei calor assim em cidades de praia ou na região norte do Brasil. Já compramos um ventilador super-power para aliviar a aflição rs rs.

A primeira saudade da terrinha começa quando você vai montar os móveis de casa, a não ser que esteja acostumado a fazer isso de vez em quando, o que não é o nosso caso. Para nós, foi a primeira vez que paramos para montar uma cama ou uma cômoda do zero. O amor pelo IKEA vai passando conforme o número de cadeiras e gavetas que você monta, é impressionante rs rs rs.
A primeira furada na parede também a gente não esquece rs rs.
Aos poucos, a casa vai tomando um pouco de ares familiares e creio que quando tivermos uma rotina será melhor ainda.

Os produtos de limpeza são realmente muito bons e existem diversas coisinhas para facilitar a sua vida. Creio que vou dedicar um post só para assuntos domésticos mais na frente, pois eu tinha este tipo de curiosidade quando estava no Brasil.

As gatinhas já estão tranqüilas e acho que já estão quase esquecendo a longa viagem. Melhor que isso, impossível. Consegui encontrar por aqui as mesmas rações que via no Brasil e as meninas seguem comendo Hills. O pacote de Hills aqui é maior e mais barato. Um pacote com 4kg custa CAD$ 34,00. A areia que comprei também é muito boa, mas vou variar sempre para escolher a que achar melhor.

No mais, passamos os últimos dias arrumando casa, comprando o que faltava e tentando ver uns cursos pra fazer na universidade Laval. Leva-se bastante tempo nesses assuntos.

E assim vamos caminhando…





De volta ao Québec

15 08 2009

Chegamos no dia 12 de novo em Québec, mas somente agora que foi possível dar notícias. Os últimos dias no Brasil foram extremamente corridos, havia muitas pendências para fechar. O bom é que conseguimos deixar o apartamento já alugado.

A viagem correu bem e o embarque das gatas correu conforme esperado. Antes de sair de casa, dei gotinhas do Acepran para elas, conforme a veterinária passou. Em poucos minutos elas já estavam meio sedadas. A preparação para a viagem internacional deve começar com as caixas, que devem ter furos em todas as laterais e também atrás. Deve ser colocado no chão da caixa um tapete higiênico, caso o animal queira fazer alguma necessidade. Também deve ser acoplado um bebedouro e comedouro na porta. Eu usei comedouros de aves.

Vale a dica de chegar mais cedo do que o costume para desenrolar o embarque dos animais. Demorei mais de 40 minutos no guichê da TAM esperando o preenchimento da papelada. Para o embarque doméstico, é necessário entregar as carteirinhas de vacinação e cópia do atestado de saúde. Tomei o cuidado de etiquetar o nome das gatas nas caixas e o endereço de entrega, caso algo acontecesse.

Ao chegar em São Paulo, entreguei as meninas para a simpática Rosana da Sysbrac. Infelizmente, ainda eram 14:30 e o voo só saia às 20:00, então elas ficaram sozinhas bastante tempo. Para o embarque internacional (no caso de ter de contratar uma empresa despachante), foram pedidos os seguintes documentos: declaração autenticada em cartório informando o envio dos animais, procuração em cartório permitindo o embarque pela empresa, cópias simples autenticadas do RG e CPF, copias simples do passaporte e da minha passagem aérea, atestado de saúde original e cópias, CZI e cópias e a carteirinhas de vacinação originais e cópias. O CZI foi emitido no aeroporto de Brasília, mas ele informava que as gatas sairiam de São Paulo. No caso de Brasília, não foi necessário marcar horário para pegar o CZI, porém em alguns outros estados é preciso. Para pegar o CZI é necessário o atestado de saúde e as carteiras de vacinação. Os animais não precisam ir junto.

Chegando em Toronto, fomos questionados porque viajamos ao Brasil e moça me pareceu incrédula quando eu disse que não tinha comprado nada por lá. Trouxemos um quadro com uma foto do nosso casamento e deu trabalho explicar aos atendentes que aquilo já me pertencia e que eu havia declarado este item ao entrar no Canadá pela primeira vez. Atenção nesta parte, se você pretende enviar/levar itens posteriormente ao Canadá. Declare tudo, pois a lista será pedida e eles conferem mesmo.

Quando a empresa despachante fez a reserva da viagem das gatas, somente foi possível embarcá-las numa conexão para Québec posterior à nossa, mas no momento do embarque vimos as meninas sendo despachadas no mesmo voo que o nosso. Se eu não estivesse sentada na janela e no lado onde eles colocam as cargas no avião, não ficaria sabendo que elas chegariam ao mesmo tempo que nós.

Em Québec, fui buscá-las no escritório da Air Canadá Cargo e foi preciso voltar ao Bureau de Duana no aeroportoo para pagar uma taxa de inspeção dos animais. Custa CAD$ 55,00. No escritório da Air Canadá, mais CAD$ 40,00. Esteja preparado.

Por fim, elas chegaram bem, porém muito assustadas. Estão se adaptando bem ao novo apartamento e explorando a nova morada.

Ah sim, uma de nossas malas não veio no nosso voo e o pessoal da Air Canadá foi entregá-la somente no outro dia.

Faz muito calor por aqui e já estamos no nosso apartamento definitivo, mas sobre isso eu falo depois, pois este post já está enorme rs rs.

Seguem algumas fotos das gatas que cruzaram os oceanos.

Gatas preparadas para o embarque

img 007

A lendária Rosana da Sysbrac

img 009

Gatas já em solo canadense explorando a casa nova

img 011

img 012

img 013

img 016





A novela das passagens de volta

3 08 2009

Antes de iniciar este post, gostaria de agradecer imensamente pelos inúmeros comentários de apoio que recebemos. Não há palavras para retribuir o carinho… Obrigada mesmo.
***

Mas, vamos lá…

No dia do nosso embarque para o Brasil, houve a maior confusão de reservas. Nossas passagens acabaram sendo pagas duas vezes e resolver a confusão para marcar a viagem de volta deu um trabalho danado. Foram horas de telefonemas para a Air Canadá fazer a reserva e mais horas ainda no guichê da loja da TAM para pagar as multas e emitir os bilhetes. Creio que no total gastamos umas 5 horas na TAM em dias diversos para conseguir sair com os bilhetes nas mãos, mas conseguimos desenrolar tudo e embarcamos com mais malas e as gatas (finalmente) para o Canadá no dia 11/08.

A surpresa da vez foi descobrir um embargo na Air Canadá que não permite que pessoas físicas embarquem seus bichinhos como bagagem até o dia 10/09. Tive de entrar em contato com a empresa que já tinha cotado anteriormente para que eles resolvam todo o trâmite. Não entendi direito que embargo é esse, já que os animais podem ir de qualquer forma. Só sei que não vai ter diferença despachar as gatas comigo aqui ou não. Pagarei a mesma quantia. O trecho Brasília – São Paulo será feito de TAM e as gatinhas poderão ir como bagagem, lá eu as entregarei para a representante da Sysbrac e ela embarcará as meninas. O mais importante é saber que elas viajarão no mesmo dia e aí a agonia terá fim.
Darei mais detalhes em outro post.