“Milhares de empregos disponíveis no Québec”

21 01 2009

Saiu no jornal Métro (Montreal – pág. 26) uma reportagem muito interessante que resume o Guia: “Les carrières d’avenir 2009” lançado ontem pela Jobboom.

O subtítulo da reportagem do Jornal Métro resume muito bem a matéria: “segundo o relatório 2009 de perspectivas do mercado de trabalho, o contexto econômico não afeta alguns setores, que lutam para recrutar trabalhadores qualificados”…

O jornal apresenta alguns desses setores que continuarão crescendo: transporte, indústria aeroespacial, energia, saúde, segurança, TI e multimídia, construção, transformação de alimentos e engenharia.

No site Jobboom.com encontrei mais detalhes dessa pesquisa e vou traduzir aqui o que o resumo da pesquisa fala de alguns desses setores, que diante dessa crise econômica me deixa até um pouco mais animado:

TI – A indústria da informática se porta bem no Québec. O número de postos de trabalho no setor passou de 40.000 em 2001 para 53.000 em 2006, e a demanda está crescendo. As empresas especializadas em serviços de TI procuram frequentemente novos empregados, mas a metade dos postos de trabalho é oferecida por empresas de outros setores. Será difícil preencher todas as vagas disponíveis. Até 2011 aproximadamente 33.000 novos trabalhadores devem ser contratados para atender a demanda do mercado.

Engenharia – A demanda por engenheiros é grande em todas as especialidades, com destaque para engenharia de informática e software, mecânica e elétrica. As perspectivas são boas também para os engenheiros civis e de construção… Em 2008, 200 dos maiores empregadores de engenheiros no Québec previram contratar quase 2.650 engenheiros e cerca de 980 “finissants” em engenharia. Os tecnólogos também são muito procurados…

Saúde: Para preencher a sua necessidade de mão-de-obra até 2012-2013, a rede pública precisará anualmente de 4.100 enfermeiros, 267 fisioterapeutas, 209 técnicos em radiologia, 116 fonodiólogos e 106 farmacêuticos. Além disso, o setor privado é cada vez mais importante e recruta também uma parte desses trabalhadores qualificados. No entanto, os estabelecimentos de ensino não formam suficientes profissionais para satisfazer essas necessidades.

Nesse resumo você pode encontrar outros setores. Quem tiver interesse pode acessar esse resumo aqui (em francês) no site. O guia tem mais de 300 páginas e custa quase $ 18,00.

Um grande abraço,

L.S.





Vagas de Emprego em Québec

19 01 2009

Mesmo após conseguir o tão sonhado CSQ e após o início do processo federal (estamos esperando o pedido de exames), a preparação para a grande mudança continua. Ainda realizamos nossas pesquisas sobre o Canadá constantemente e também continuamos no francês, duas vezes por semana, com um professor particular.

Nessas andanças pelos sites do Governo do Québec, encontrei um site que pertence ao Emploi Québec, chamado Placement en Ligne, onde é possível pesquisar vagas de emprego em toda a província do Québec, separadas por Cidade/Bairro. No site você encontra até vagas para “survival job”, além de informações sobre o mercado de trabalho.

Descobri, por exemplo, que em Ville de Québec, no bairro de Sainte-Foy, onde pretendemos morar e onde esta localizada a Universidade de Laval, que 55% das vagas de emprego de Ville de Québec estão concentradas nessa região. Olha as estatísticas aí novamente (hahahaha)…

Depois volto com mais informações sobre o assunto…

Um grande abraço,

L. S.





Montreal pode agradecer aos imigrantes

16 01 2009
Pessoal, olhei essa reportagem ontem no jornal Métro (Canadá/Montreal) achei interessante e resolvi postar aqui no blog. Eu mesmo traduzi rapidinho (desculpem os erros). Quem tiver interesse pode acessar a matéria em francês (página 3):

http://metropoint.metro.lu/20090114_Montreal.pdf

Estatísticas. Montreal pode agradecer aos imigrantes. Sua presença na metrópole tem proporcionado o crescimento da população nos últimos anos, apesar do fato de que o êxodo de “Montréalais” para os subúrbios continuar, segundo as últimas estatísticas do Censo 2006 divulgado ontem.

De 1986 a 2006 a população de Montreal cresceu 5,2%, passando de 1.540.816 para 1.620.693 habitantes. Em comparação, a cidade de Terrebonne mais que dobrou, passando de 45.000 para 95.000 habitantes no mesmo período.

Em 5 anos, cerca de 170.000 “Montréalais” deixam a ilha para morarem em Longueuil, Laval e outras cidades do norte e sul. Em contrapartida, 85.000 habitantes dos subúrbios retornaram a Montreal.

Se as mudanças e os nascimentos explicam o crescimento dos subúrbios, a imigração é um dos responsáveis pelo crescimento populacional da metrópole. A imigração tem contribuído para o aumento de 66% da sua população. Em 2006, para cada 10 habitantes de Montreal, 3 eram imigrantes.

Dos três municípios mais populosos (Côte-des-Neiges-Notre-Dame-de-Grâce (CDN-NDG), Villeray-Saint-Michel-Parc-Extensão (VSP) e Rosemont-La Petite-Patrie), os dois primeiros também receberam o maior número de imigrantes.

É também graças aos imigrantes que a idade média dos “Montréalais” não é mais elevada. A maioria deles tem menos de 15 anos ou tem entre 25 e 44 anos.

Habitação:

– 4 “Montréalais” entre 10 vivem sozinhos. É o maior índice da província.

– O custo médio para alugar um apartamento em Montreal é de 647 $ e para comprar é de 283.831 $. Montreal é a cidade onde o custo da moradia é a mais cara no Québec.

Idiomas e imigração:

– Menos de 60% dos “Montréalais” falam francês em casa.

– 40% que usam uma língua diferente do francês, 48,4% falam Inglês, 7%
espanhol e italiano, e cerca de 6% falam línguas árabes e chinês.

– A metrópole recebe cerca de 57% dos imigrantes da província.

Transporte:

– 49% dos “Montréalais” utilizam o carro para se deslocarem ao trabalho e 47% utilizam um meio de transporte alternativo.

– 34,7 dos “Montréalais” utilizam o transporte coletivo, número muito superior a média “quebecois” de 12,8%.

Um grande abraço,

L. S.





Fichas que caem

5 01 2009

Uma vez enviado o federal e aguardando resposta, sua vida não é mais a mesma. Parece que a ficha cai e você vê que o lance é real, que sua vida vai mudar de verdade. Você já pensa 2 vezes ao comprar qualquer coisa, você analisa sua casa pensando naquilo que poderia ser vendido logo, se pega pegando em mudança. Começa a encarar a família de forma diferente, de certa forma como se estivesse se despedindo… É estranho… Haja autocontrole para conter a ansiedade!

Estamos assim: caindo a ficha e já abrindo mão de um bocado de coisas. E olha que o mais complicado ainda está por vir…

Não é fácil não…