Você Sabia?

30 06 2008
Na semana passada eu publiquei aqui no blog um comentário sobre o Guia Apprendre le Québec. Falei da importância da leitura do Guia para ajudar na sua integração a sociedade quebequense e citei ainda alguns assuntos interessantes abordados no Guia.

Hoje, vou comentar sobre um assunto que encontrei no tópico “Sociedade Quebequense” que achei muito conveniente, pois aqui no Brasil é fácil encontrar alguém desrespeitando esse princípio. Como sempre diz minha esposa: “é a mania eterna do brasileiro de querer se dá bem em tudo”.

Bom, espero que você não se enquadre nessa categoria, pois vai ter que aprender a ser educado antes de sair do Brasil ou vai passar muita vergonha no Canadá. Para quem ainda não teve a oportunidade de ler o Guia, veja uma das dicas do tópico:

“Na vida pública, à espera de um serviço, habitualmente os quebequenses respeitam o princípio de que “o primeiro a chegar é o primeiro a ser servido”. Quer seja em uma loja, no banco, na parada de ônibus ou no cinema, cada um aguarda a sua vez. A pessoa que não respeitar a ordem corre o risco de ser chamada a atenção pelos cidadãos.”

Como essa dica que apresentei acima, o Guia dá várias outras, como por exemplo:

“A sociedade quebequense de hoje possui mais de uma centena de comunidades culturais. De línguas, culturas e de religiões diversas. Essas comunidades contribuem significativamente para enriquecimento econômico, social e cultural do Quebec. Eles vivem de forma pacífica e harmoniosa e são encorajados a manter relações interculturais”.

“Os quebequenses geralmente levam muito a sério os seus compromissos em relação ao tempo. Pontualidade é imprescindível”.

“Para interagir e comunicar uns com os outros, os quebequenses preferem simplicidade. Eles se comunicam normalmente com um nível bastante direto, precisa e explícita. Eles costumam manter certa distância física entre eles e seu interlocutor, demonstrando assim o seu respeito pelo espaço pessoal do outro”.

Ficam aí mais algumas dicas!

Um abraço,

L. S.

* Tópico: La Société Québécois. Página: 12. Assunto: Le saviez-vous?

Anúncios




Estatísticas sobre Imigração para Quebec – Parte III

27 06 2008

Continuação…

  

 – Imigrantes da América do Sul

 Nos últimos 5 anos, cerca de 23.023 sul-americanos imigraram para a província de Quebec, 10,6% do total de imigrantes que foram para lá no mesmo período. A seguir relacionei o ranking* de imigração da América do Sul em dois momentos: 

De 2003 a 2007 2007
01 – Colômbia (46%) 01 – Colômbia (48%)
02 – Peru (17%) 02 – Peru (17%)
03 – Argentina (11%) 03 – Brasil (12%)
04 – Venezuela (9%) 04 – Venezuela (9%)
05 – Brasil (7%) 05 – Chile (6%)
06 – Chile (4%) 06 – Argentina (4%)
07 – Uruguai (2%) 07 – Equador (2%)
08 – Equador (2%) 08 – Uruguai (1%)
09 – Guiana (1%) 09 – Bolívia (0,5%)
10 – Bolívia (0,5%) 10 – Guiana (0,5%)
11 – Outros (0,5%) 11 – Outros (0,5%)

 

* O relatório não disponibiliza o ranking dos países por continente. Os percentuais foram arredondados, podendo dar uma pequena diferença na soma.

 

  – Imigrantes Brasileiros

 A “moda” da imigração de brasileiros para Quebec é recente. Para se ter uma idéia, durante todo o ano de 1997, apenas 78 brasileiros imigraram para a província. Nos últimos 10 anos, aproximadamente 2.096 brasileiros imigraram. Ainda assim, esse número é menor do que a quantidade de colombianos que imigraram para lá somente no ano de 2007.

 

 Nos últimos 5 anos, o número de brasileiros que imigraram para Quebec mais que quadriplicou, passando de 143 imigrantes em 2002 para 622 imigrantes em 2007. O crescimento de 434% no período foi o 3º maior entre mais de 100 países, saindo da 47ª para 23ª posição no ranking dos principais países.

 

 O Quebec realmente está de portas abertas para o brasileiro (tanto que mudou o escritório para o Brasil J).

 

 – Região de Destino Declarada no Projeto

 

Montreal: 74,1%

Montérégie: 7%

Ville de Québec: 4,4%

Laval: 4%

Outaouais: 2,4%

Estrie: 2,3%

Mauricie: 0,7%

Lanaudière: 0,7%

Outras regiões: 4%

 ——————————————————————————————-

O relatório completo você pode consulta clicando aqui.

 

Até a próxima!

 

L. S.





Estatísticas sobre Imigração para Quebec – Parte II

26 06 2008

Continuação…

 

Dados: 2003 a 2007

 

– Imigrantes por faixa etária

 

Os dados abaixo mostram a faixa etária dos imigrantes que escolheram Quebec como destino (últimos 5 anos):

 

de 0 a 14 anos: 20,2%

de 15 a 24 anos: 13,2%

de 25 a 34 anos: 37,2% <=

de 35 a 44 anos: 20,4%

de 45 a 64 anos: 7,8%

65 anos ou +: 1,2%

 

De forma geral, as mulheres que imigram para Quebec são mais jovens que os homens.

 

– Imigrantes por Continente

 

Os imigrantes admitidos por Quebec conforme o Continente de nascença:

 

Ásia: 29,9%

África: 27,5%

Europa: 22,2%

America do Sul: 10,6%

America Central: 3%

America do Norte: 1,6%

Oceania: 0,1%

 

Um número que me surpreendeu foi à quantidade de Europeus (48.249), principalmente franceses, que imigraram para Quebec nos últimos anos. As coisas por lá não devem está muito boas também.

 

Analisando os dados por ano, é possível observar a diminuição percentual do número de imigrantes da Ásia e da Europa e um crescimento considerável no percentual de imigrantes da África e da América do Sul. 

 

– Imigrantes por país de nascença (15 principais)

 

De 2003 a 2007 os argelinos foram os que mais imigraram para Quebec, seguido pelos franceses e pelos chineses. Atualmente (2007), os marroquinos estão em primeiro lugar no ranking de imigração, os franceses continuam em segundo e os argelinos passaram para a terceira posição.

 

O único país da America do Sul que aparece entre os 15 principais países, considerando a imigração dos último 5 anos, é a Colômbia, que ocupa a sexta posição. Considerando apenas o ano de 2007, a Colômbia passa para a quarta colocação e o Peru aparece na 12º posição.

 

Ranking dos 15 principais países*:

De 2003 a 2007 2007
01 – Argélia (8,1%) 01 – Marrocos (8,0%)
02 – França (7,8%) 02 – França (7,7%)
03 – China (7.6%) 03 – Argélia (7,5%)
04 – Marrocos (7,4%) 04 – Colômbia (5,6%)
05 – Romênia (5,6%) 05 – China (5,5%)
06 – Colômbia (4,9%) 06 – Romênia (4,0%)
07 – Líbano (3,9%) 07 – Líbano (4,0%)
08 – Haiti (3,3%) 08 – México (2,9%)
09 – Índia (2,6%) 09 – Haiti (2,9%)
10 – México (2,3%) 10 – Iran (2,5%)
11 – Paquistão (2,2%) 11 – Índia (2,3%)
12 – Peru (1,8%)  12 – Peru (2,%)
13 – Filipinas (1,8%) 13 – Filipinas (1,9%)
14 – Rep. Dom. do Congo (1,8%) 14 – Estados Unidos (1,9%)
15 – Tunísia (1,7%) 15 – Camarões (1,7%)

 

 * O relatório não disponibiliza as outras posições do ranking.

———————————————————————————————

 

Por hoje é só, amanhã tem a Parte III.

 

Um abraço,

 

L. S.





Estatísticas sobre Imigração para Quebec – Parte I

25 06 2008

Analisando os relatórios de estatísticas de imigração do MICC dos últimos 5 anos (de 2003 a 2007), encontrei informações variadas e interessantes sobre o assunto, e vou colocar aqui no blog um resumo dessas informações (que são muitas), por tópico, começando de uma forma macro até chegar aos imigrantes brasileiros. Vou dividir o assunto em 3 partes para não ficar cansativo.

 

– Imigração Canadá X imigração Quebec

 

Segundo o relatório do MICC, o Canadá recebeu 1.207.745 imigrantes entre os anos de 2003 e 2007, sendo que 217.043 imigrantes, ou 18% do total, escolheram a província de Quebec como destino.

 

– Imigração por Sexo

 

Em Quebec o número de imigrantes do sexo masculino é praticamente igual ao número de imigrantes do sexo feminino, cada um com 50% de participação. Considerando a imigração em todo o Canadá, a média é de 51% de imigrantes do sexo feminino e 49% do sexo masculino.

 

– Imigração por Categorias

 

Econômica: 60%

Reagrupamento Familiar: 22%

Refugiados: 16%

Outras: 2%

 

Dos imigrantes que foram para Quebec pela categoria econômica (130.914), 90% imigrou na classe de “Travailleurs Qualifiés”, categoria normalmente escolhida pelos brasileiros.

 

– Conhecimento do idioma (francês e inglês)*

 

Conhecimento do idioma no momento da admissão: 

 

Conheciam o idioma francês: 56%

Conheciam o idioma francês e inglês: 33%

Somente francês: 23%

Somente inglês: 18%

Nem francês e nem inglês: 25%

 

Desse total, apenas 17% tinham o inglês ou francês como línguas maternas.

 

Quando analisado os dados históricos dos imigrantes que não falam nenhum dos dois idiomas no momento da admissão, é possível observar que esse percentual caiu consideravelmente nos últimos anos, passado de 32% em 2003 para 21% em 2007. O resultado pode ser justificado pela política de imigração do Governo Quebequense, que está cada vez mais exigente com o conhecimento da língua francesa no momento da entrevista.

 

——————————————————————————————–

 

Amanhã tem mais…

 

Um abraço,

 

L. S.

 

* o relatõrio não diz qual é o nível de conhecimento.





Apprendre Le Québec – Guide pour Réussir Mon Intégration

24 06 2008

O Guia, que em português quer dizer algo próximo a “Aprenda sobre o Quebec” ou “Aprenda a viver no Quebec”, é considerado por muitos a “Bíblia da imigração”. No Guia você encontrará praticamente todas as informações necessárias para o sucesso do seu projeto, ajudando, como diz o subtítulo, na sua integração a sociedade Quebequense.

 

A leitura do Guia é indispensável para quem pretende imigrar para o Quebec. O Guia aborda diversos assuntos importantes, entre eles:

 

– Os serviços de acolhimento e assistência a integração;

– A sociedade quebequense;

– Superando as dificuldades de adaptação;

– Determinando a região ou a cidade de residência;

– Previsão do orçamento;

– Iniciando o aprendizado do francês ou aperfeiçoando o conhecimento;

– Habitação;

– Documentos Importantes;

– Os serviços públicos;

– Os serviços bancários;

– Rede de contatos;

– O trabalho e a procura por emprego;

 

O MICC disponibiliza o Guia em 3 línguas: Francês, Espanhol e Inglês

 

Estou traduzindo o Guia para o português, mas o meu francês ainda está longe de ser fluente. Já estou na página 40, e até onde parei posso dizer que o Guia é muito interessante. Quando terminar a tradução, disponibilizo o Guia aqui no Blog para quem tiver interesse.

 

Boa Leitura!

 

L.

 





Mudanças na Lei de Imigração

23 06 2008

Estou um pouco atrasado, a notícia foi vinculada na impressa canadense no dia 09/06, mas ainda acho interessante postar a notícia aqui. Quem quiser pode ler a notícia em francês, direto do site da Cyberpresse: www.cyberpresse.ca/article/20080609/CPACTUALITES/80609236. Quando tiver novidades sobre o assunto comento no blog.

 

Imigração: Projeto de Lei dos Conservadores Aprovado              

 

Reportagem: Bruce Cheadle – Presse Canadienne – Ottawa

Tradução (meia boca): L. J

 

O controverso Projeto de Lei dos conservadores para reformar a lei sobre imigração foi aprovado na segunda-feira à noite pela “Câmara dos Comuns”.

 

As alterações na lei permitirão a Ministra da Imigração Diane Finley a acelerar o processamento dos pedidos de imigrantes com qualificações que o país necessita, enquanto que os imigrantes que não tem as mesmas qualificações provavelmente terão mais dificuldades para vir se estabelecer no Canadá. O Governo pode, além disso, graças às modificações na lei, limitar o número de demandas de imigração.

 

Os conservadores argumentam que tais medidas são necessárias para acelerar a entrada no país de mão-de-obra que o Canadá tem uma necessidade urgente, ao mesmo tempo reduzir os atrasos nos pedidos.

 

Mas os opositores alegam que estas disposições dão demasiados poderes discricionários a ministra, reduzindo a transparência e torna o sistema vulnerável aos abusos. 

 

Os três partidos da oposição, que representam a maioria dos parlamentares, têm criticado fortemente o Projeto de Lei conservador, mas o número de liberais ausentes na Câmara foi tal que o Projeto de Lei foi facilmente aprovado por 120 votos contra 90.

 

Os deputados liberais têm, no entanto, afirmado aos partidários frustrados que reverterão as modificações na lei quando eles forem novamente chefe do governo.         

 

O chefe do Novo Partido Democrático, Jack Layton, sustentou que os liberais deixaram passar uma oportunidade histórica de bloquear uma medida tão ruim.

 

A alteração da lei se aplica a todos aqueles que tenham pedido para poder se estabelecer no Canadá após 28 de fevereiro ou 1 de março deste ano, mas não aos 900.000 candidatos a imigração que já aguardam o processamento do seu dossiê.  

 

A ministra Finley afirmou que o Projeto de Lei fornecerá recursos adicionais para eliminar a demora dos processos pendentes. Os critérios de seleção continuam imprecisos, mas a Sra. Finley garantiu, no mês passado, que o processamento dos pedidos levará em consideração os comentários das províncias, dos empregadores, dos sindicatos e das outras partes interessadas.

 

A deputada neo-democrática Olivia Chow disse que resta esperar que o Senado, dominado pelos Liberais, bloqueiem a adoção do Projeto de Lei por tempo suficiente para que a oposição se organize, no outono, mas ela permanece cética. Os Liberais “são intimidados pelos conservadores Mr. Harper”, disse ela.

 

Um abraço!

 

L.

 

 

 





MICC – Ministère de l’ Immigration et des Communautés Culturelles

20 06 2008

Vou fechar a semana falando novamente de trabalho. Falo muito sobre isso, pois a maior dificuldade que eu tenho, quando penso em morar fora do Brasil, é deixar para trás tudo que já conquistei profissionalmente. Ter que começar sua carreira praticamente do ZERO é muito difícil. Voltar a fazer o famoso “survival job” depois de tanta ralação é o que mais me desanima. Porém, olhando pelo lado bom, pelo menos eu já conheço o serviço… 🙂

Com toda essa insegurança, estou pesquisando muito sobre o mercado de trabalho quebequense e aproveito para dividir a informação com todos que tenha o mesmo interesse. Encontrei diversas informações sobre o assunto no site MICC – Ministère de l’ Immigration et des Communautés Culturelles (www.immigration-quebec.gouv.qc.ca/fr/emploi/marche-travail/index.html).

Abaixo listei alguns assuntos abordados nessa parte do site:

– Algumas características e valores do mercado de trabalho quebequense;

– As denominações que recebe sua profissão ou atividade no Quebec;

– As perspectivas de emprego na sua área profissional;

– As normas, as condições de trabalho e a sindicalização;

– Os programas sociais relacionados ao emprego;

– Profissões que são regulamentadas no Quebec.

Tem que ter paciência para olhar tudo. É muita informação. O site está disponível em francês, inglês ou espanhol.

Fica aqui mais uma dica.

Boa pesquisa!

L.